Compartilhe!

“True Detective” é uma série de televisão americana criada por Nic Pizzolatto, tendo sua primeira temporada dirigida por Cary Joji Fukunaga. A primeira temporada utiliza múltiplas linhas do tempo para traçar através de 17 anos a busca de dois detetives por um assassino em série em Louisiana. Os detetives são, Rust Cohle (Mattthew McConaughey) e Martin Hart (Woody Harrelson). Sua primeira temporada estreou em 12 de janeiro de 2014, possuindo oito episódios, terminando no dia 09 de março de 2014.

Com tantas formas humanas e animais desenhados nas paredes, tantas indústrias no horizonte e salgueiros-chorões no pântano – figuras todas de uma paisagem deformada, que dão a “True Detective” seu tom de fantasia disforme e fatalista. A série mostra uma Louisiana pós-Katrina, com seus cenários assombrados por fantasmas recentes.

Desde os créditos iniciais, que sobrepunham as locações da série com os rostos dos protagonistas, já estava claro que seria o tipo de narrativa que faz de lugares personagens. A temporada toda não funciona sob uma lógica de roteiro (o final pode desapontar quem coleciona pistas à espera de uma reviravolta) e sim sob uma lógica de mise en scène.

Dentro dessa lógica, na investigação de Marty (Woody Harrelson) e Rust (Matthew McConaughey) (como é uma série de antologia, a segunda temporada terá outras histórias, mais diretores, outros personagens, talvez outra proposta), o que vimos pelo caminho não foram exatamente pistas, mas sugestões visuais – que uma montagem de algumas paisagens no season finale inclusive faz questão de recapitular. O acampamento das prostitutas, o bar de strippers, a igreja queimada, a escola vazia; tudo aqui é encenado para emular um abandono.

Veja o trailer:

“True Detective” tem uma visão um tanto romanceada e mesmo esotérica do que significa ser um Verdadeiro Detetive. Foi uma temporada ortodoxa no que se refere aos arcos dos protagonistas (os workaholics Rust e Marty falham dentro de casa e procuram a boa e velha redenção) mas, acima disso, foi uma temporada de arquétipos mais antigos: Rust como o cavaleiro quixotesco e Marty como seu escudeiro trapalhão, combatendo homens gigantes, tendo que lidar com a maldição da profissão que escolheram. “Maldição”, aliás, esse termo do mundo das fantasias, é mesmo usado por Rust no episódio cinco, quando ele se refere à vida que leva.

É uma série pra quem gosta de pensar, analisar. Uma série pra quem quer fugir dos estereótipos de detetives comuns. Uma série que faz pensar quem não existe ninguém totalmente bom e ninguém totalmente ruim.

A segunda temporada se passará na Califórnia. Falará sobre mulheres fortes, homens maus e a história oculta de transporte americano. O único nome confirmado que temos até agora para a segunda temporada é Collin Farrell. Sem data prevista para estreia.