Compartilhe!

Há algum tempo ainda existia quem encarava os quadrinhos como literatura apenas para entretenimento, sem conteúdo sério. Entretanto, esse pensamento é cada vez menos comum, uma vez que agora os quadrinhos já são aceitos como arte e o seu conteúdo tão reconhecido quanto os livros tradicionais.

Entre o público jovem, os quadrinhos são tão populares atualmente que em pesquisas realizadas com estudantes de São Paulo, 45% dos entrevistados apontaram os quadrinhos como sendo o gênero literário preferido. Seja pela leitura mais dinâmica, pelas ilustrações ou pela diversidade de assuntos e estilos, o gênero promete conquistar cada vez mais fãs nos próximos anos.

Boa parte do sucesso crescente dos quadrinhos pode ser atribuído ao contato diário que crianças e jovens têm com esses materiais nas escolas. O sistema de educação começou a reconhecer estes livros como uma forma de facilitar o aprendizado e aproximar os jovens dos conteúdos apresentados. Engana-se quem pensa que eles estão presentes somente nos livros de língua portuguesa ou redação, os personagens podem ser encontrados até mesmo nas páginas de ciências exatas.

Está muito enganado, também, quem acha que os personagens e histórias utilizadas em materiais escolares não são divertidos ou são forçados, a realidade é totalmente o contrário. Existem personagens que abusam das críticas sociais, sempre com humor e ironia, colocando em discussão assuntos importantes para a sociedade atual de maneira leve e inteligente.

Existem vários personagens de HQs muito relevantes e usados frequentemente em salas de aula, entre eles estão:

1. “Mafalda” de Quino

20070627-mafalda_sopa

A menina de personalidade forte não perde a chance de fazer críticas a assuntos políticos ou sociais sempre de forma muito direta, mas sem perder a inocência e sinceridade características de crianças. Com tirinhas aclamadas em toda a América Latina, os assuntos abordados são atemporais e por mais que a personagem seja uma criança, os quadrinhos não foram pensados para o público infantil, por isso são interessantes para qualquer faixa etária.

 Os assuntos tratados nos quadrinhos da Mafalda são pertinentes para a educação principalmente para gerar discussões de forma natural, trazendo para o cotidiano dos estudantes questões políticas, por exemplo, que não seriam discutidas entre os jovens tão facilmente.

 2. “Calvin e Haroldo” de Bill Watterson

calvin12

Assim como acontece com as tirinhas de Mafalda, as histórias vividas por Calvin, um menino de seis anos, e Haroldo, seu tigre de pelúcia, contam com o humor e a ironia para tratar de assuntos relevantes e atemporais. Além de críticas sociais, também existem quadrinhos voltados exclusivamente ao entretenimento, mantendo a mesma personalidade contestadora característica de Calvin.

Um detalhe importante dos personagens é que existe um tipo de divisão entre o real e o imaginário, os quadrinhos em que Haroldo aparece são classificados como a imaginação de Calvin que cria situações com seu bicho de pelúcia para fugir do cotidiano, já as histórias em que Calvin aparece com outros personagens são o mundo real. Uma curiosidade sobre esses HQ’s é que o autor nunca liberou a imagem dos personagens para uso em produtos ou mesmo para produção de animações, isso porque ele acredita que as tirinhas são a melhor forma de expressar todas as histórias.

Dentro ou fora de sala de aula, os quadrinhos hoje já estão presentes no cotidiano de diversas maneiras, até mesmo em jornais, se você ainda não experimentou os HQs, já passou da hora de correr para ler!

Esse post é uma contribuição do Magazine Luiza ao Blog Nerd e Geek.